Isabel dos Santos ameaça tomar "providências legais" contra atual administração da Sonangol

Visada num inquérito aberto pela Procuradoria Geral angolana depois da denúncia pública da atual administração da Sonagol, Isabel dos Santos reagiu hoje com um comunicado em que se defende das acusações

A filha do anterior Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, acusada pela atual administração da Sonangol de "transferências monetárias irregulares" e "outros procedimentos incorretos", emitiu hoje um comunicado no qual se defende das acusações feitas pela atual administração da petrolífera e ameaça "tomar todas as medidas e encetar todas as providências legais, adequadas e necessárias" à proteção do seu "bom nome" e defesa dos seus direitos. Recorde-se que foi o atual presidente do conselho de administração pública, Carlos Saturnino, que fez no dia 28 de fevereiro a denúnica pública sobre os alegados "atos irregulares" da sua antecessora, o que levou a PGR angolana a abrir um inquérito para "investigar os factos ocorridos".

No comunicado, Isabel dos Santos insurge-se contra "acusações e insinuações graves, algumas das quais caluniosas" contra a sua honra e contra o "trabalho sério, profissional e competente que a equipa do anterior conselho de administração desenvolveu ao longo de 18 meses". Alega ainda que Carlos Saturnino estará a "procurar buscar um bode expiatório, para esconder o passado negro da Sonangol". Na sua opinião, trata-se de uma "encenação" para distrair a opinião pública "de ver os verdadeiros responsáveis". "Esta campanha generalizada e politizada contra mim faz-me acreditar que estão de retorno os interesses das pessoas que enriqueceram de bilhões à custa da Sonagol".

"O problema da Sonangol não é, e nunca foi Isabel dos Santos, mas sim a irresponsabilidade da gestão, e das entidades que beneficiarão de contratos leoninos e ganharam milhões, e hoje esperam poder continuar a gozar e viver
desta prevaricação", conclui o comunicado.

Ler mais

Exclusivos