Investigação a Trump terminada. Mueller enviou relatório ao procurador-geral

Procurador especial Robert Mueller enviou esta sexta-feira o relatório confidencial com as conclusões da investigação da interferência russa nas eleições presidenciais de 2016. De acordo com alto funcionário da justiça, não haverá novas acusações.

A investigação às supostas ligações de Donald Trump à Rússia durante a campanha para as presidenciais de 2016 terminou. Esta sexta-feira, o procurador especial Robert Mueller enviou para o procurador-geral, William Barr, o relatório final dos inquéritos, culminando um processo judicial que se iniciou a 17 de maio de 2017.

O documento é confidencial, tendo o Congresso sido notificado da sua existência, mas não foi enviada qualquer informação sobre o seu conteúdo, escreve o jornal The Washington Post.

Em menos de dois anos, a investigação de Mueller traduziu-se em várias acusações criminais contra mais de 30 pessoas. No entanto, esta sexta-feira e após ter sido anunciado que a investigaçã estava concluída, um alto funcionário do Departamento de Justiça referiu que o conselho especial já não recomendou novas acusações.

Em carta, William Barr informou a comissão para Assuntos Judiciais do Congresso que Mueller "concluiu a sua investigação à interferência russa na eleição de 2016 e matérias relacionadas".

O procurador-geral acrescenta que irá agora "analisar o relatório" antecipando que estará "em condições de aconselhar [o Congresso] durante o fim de semana".

Barr afirma ainda que se irá reunir com o seu adjunto, Rod Rosenstein e com o próprio Mueller "para determinar que informação do relatório pode ser divulgada ao Congresso e ao público".

Ler mais

Exclusivos