Inundações matam 11 e obrigam a retirar milhares de turistas de Petra

Milhares de turistas foram retirados pelas forças armadas e proteção civil da cidade de Petra, no sul da Jordânia, ao serem surpreendidos pelas enchentes causadas pelas chuvas torrenciais que causaram 11 mortos nas últimas horas, segundo fontes oficiais.

Segundo o governador da região, as forças armadas e a proteção civil retiraram 4.072 pessoas da província de Maan.

Em Maan fica a cidade monumento de Petra, localizada no sudoeste da Jordânia, uma das sete maravilhas do mundo, assegurando o governador que não há registo de qualquer dano nos monumentos.

As chuvas vão manter-se e o governo ordenou o encerramento de todas as áreas turísticas.

A cidade de Petra é um sítio arqueológico escavado inteiramente na rocha, que remonta ao tempo dos nabateus, por volta do século 5 antes de Cristo, e é considerado um dos tesouros mais importantes do mundo.

Na sexta-feira, inúmeros vídeos transmitidos através de redes sociais mostraram torrentes de água descendo pelas estradas dentro da cidade monumental, um evento que ocorre em raras ocasiões no complexo.

A proteção civil da Jordânia informou hoje, através da agência estatal, que encontraram esta manhã o cadáver de um cidadão na região de Madaba, a 40 quilómetros a oeste de Amã, aumentado para 11 o número de mortos nas últimas 24 horas na sequência de inundações.

Ler mais

Exclusivos