"Explosão" no metro de Londres provoca susto e alguns ferimentos. Polícia investiga

Uma mochila começou a arder no interior de uma carruagem. Quando as portas abriram na estação de Parsons Green as pessoas atropelaram-se para sair por receio de um atentado terrorista

Uma mochila começou a arder, pelas 8.25, tendo deflagrado um pequeno incêndio numa das composições do metro de Londres. Houve alguns feridos, com queimaduras, porque até o metro parar na estação seguinte nada havia a fazer.

Os relatos, citados pela imprensa local, referem a existência de uma "explosão" numa carruagem do metro. As imagens já disponíveis nas redes sociais mostram o que parece ser um saco de plástico a arder e um balde de plástico, além de uma mochila preta.

Muitos passageiros referem também que ouviram gritos na altura em que os ocupantes das composições tentavam sair da estação através das escadas de saída e que alguns apresentavam ferimentos.

"Creio que estavam feridos pelo artefacto ou por uma coisa parecida", disse aos jornalistas Richar Aymler-Hall, um homem de 53 anos que viajava no comboio afetado.

A estação foi encerrada e a linha (District Line) foi cortada.

A polícia está no local a investigar o sucedido e os serviços de emergência enviaram vários meios de socorro. "A nossa prioridade é verificar a dimensão e natureza dos ferimentos", dizem.

(VEJA AQUI A INFORMAÇÃO ATUALIZADA SOBRE ESTE INCIDENTE)

(Atualizada às 10:05, como novos dados acerca dos testemunhos)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.