Ilhas Baleares querem proibir venda de carros a gasóleo e gasolina até 2035

O objetivo é que, em 2050, todos os carros do arquipélago sejam elétricos

A última iniciativa legislativa do executivo das ilhas Baleares pretende que estas se tornem "sustentáveis" e um "paradigma" no que toca à conservação do meio ambiente a nível global. As palavras são da Presidente da região, Francina Armengol, agora que foi revelada a pretensão de acabar com a entrada, e consequente venda, de carros a gasóleo em 2025, e os movidos a gasolina em 2035. No entanto, os veículos que já estejam matriculados nas ilhas podem continuar a circular.

Segundo o El Mundo, o objetivo do Governo da região autónoma é que, em 2050, todos os carros sejam elétricos, daí as proibições. A medida não afeta as motas, carros de passageiros e autocarros que já circulam no arquipélago, que terão permissão até ao final da sua vida útil.

Além disto, as frotas de carros de aluguer devem, a partir de 2020, incorporar carros elétricos, aumentando o número destes desde 2% por ano, até chegar aos 100% em 2035.

Francina Armengol mostrou-se orgulhosa pela iniciativa "pioneira" que vai situar as Baleares na "vanguarda da Europa" e que pretende cumprir o Acordo de Paris, de 2015. Afirmou também que o plano é que, em 2050, as Baleares funcionem a 100% a partir de energias renováveis, diminuindo assim 90% das emissões.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.