Hospital parcialmente evacuado após alerta de bomba

Um telefonema anónimo levou à tomada de medidas de precaução

Os acessos ao hospital Georges Pompidou de Paris foram hoje fechados e uma parte do estabelecimento de saúde foi evacuada devido a um alerta anónimo de bomba, informou a rádio Europe 1 e a autoridade dos hospitais de Paris.

No seu site, a Europe 1 indica que as forças da ordem estão a realizar buscas no hospital depois de este ter recebido "um alerta de bomba".

"Uma parte do hospital europeu Georges Pompidou foi evacuada", adianta a rádio francesa.

Um comunicado divulgado no site da Assistência Pública -- Hospitais de Paris refere, por seu turno, que na sequência de "um apelo anónimo" recebido pelo hospital e "de acordo com as autoridades de polícia" se decidiu, "como medida de precaução, fechar os acessos" ao Georges Pompidou.

A autoridade dos hospitais de Paris indica ainda que as urgências serão reencaminhadas para outros estabelecimentos de saúde na zona e que o movimento dos pacientes deverá ser limitado.

O pessoal deve estar atento a qualquer "situação pouco usual" e à "presença de pacotes ou malas suspeitas", adianta o comunicado da Assistência Pública -- Hospitais de Paris.

Paris assinalou a semana passada o primeiro aniversário dos atentados de novembro de 2015, que mataram 130 pessoas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.