Homem morto a tiro por polícia gera confrontos em Chicago

Quatro manifestantes foram presos e alguns polícias sofreram ferimentos ligeiros. Polícia diz que homem baleado aparentava estar armado

Um homem morreu após ser baleado por um polícia em Chicago, um incidente que gerou confrontos entre as forças de segurança norte-americanas e uma multidão que acorreu ao local, em protesto, informaram as autoridades locais.

Larry Merritt, porta-voz do corpo de bombeiros, disse que o homem foi baleado na noite de sábado no bairro de South Shore e transportado para o Hospital Jackson Park, onde foi declarado morto.

A polícia informou que quatro manifestantes foram presos e vários polícias ficaram levemente feridos durante os confrontos.

O chefe de patrulha da polícia de Chicago, Fred Waller, disse numa conferência de imprensa que a multidão atirou garrafas e pulou em cima de uma viatura das forças de segurança e que alguns carros foram danificados.

A polícia de Chicago informou ainda que o homem que foi baleado mortalmente "exibia características de uma pessoa armada" e que os polícias tentaram interrogá-lo.

O Chicago Sun-Times noticiou a existência de confrontos entre manifestantes e a polícia, que isolou a área.

A polícia não deu outros detalhes sobre o confronto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.