Cola a cabeça ao micro-ondas a tentar vídeo viral

Comandante dos bombeiros, que demoraram uma hora para o libertar, refere que o rapaz podia ter morrido ou ter ficado gravemente ferido

Um saco plástico na cabeça, massa de construção e um micro-ondas. A receita parece desastrosa, efetivamente é, e podia mesmo ter sido fatal para um homem de 22 anos em Wolverhampton, Reino Unido.

"O homem e um grupo de amigos misturaram vários sacos de uma massa de construção, que depois colocaram à volta da cabeça do rapaz, que estava dentro do micro-ondas protegida por um saco de plástico", afirmou o comandante Shaun Dakin, dos bombeiros de West Midlands, à BBC.

Os amigos já tinham conseguido colocar um tubo na boca do jovem para este respirar, e já estavam a tentar libertá-lo há cerca de hora e meia.

"Demorámos quase uma hora a libertá-lo", afirmou Dakin. Uma equipa técnica teve de se dirigir ao local.

"O forno estava a ser usado como molde e não estava ligado. A mistura ficou dura rapidamente", explicou também.

"O homem podia ter sufocado facilmente ou ter ficado gravemente ferido", disse também Shaun Dakin.

O jovem de 22 anos, Jay Swingler, queria lançar um vídeo no YouTube com a "façanha" que tentava realizar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.