Homem ameaçou fazer explodir edifício horas antes da visita de Obama

Ninguém ficou ferido, tendo a polícia verificado, entretanto, que o homem detido não trazia qualquer engenho explosivo.

Um homem ameaçou fazer explodir um edifício a seis quarteirões da Presidência argentina, em Buenos Aires, horas antes do início da visita oficial ao país do Presidente norte-americano, Barack Obama, noticiou hoje a imprensa local.

O homem, que não foi identificado, acabou por ser detido pela política, que coordenou paralelamente as operações de evacuação do edifício que alberga uma rádio estatal argentina, em pleno centro de Buenos Aires.

Ninguém ficou ferido, tendo a polícia verificado, entretanto, que o homem detido não trazia qualquer engenho explosivo.

As autoridades de segurança argentinas estão no penúltimo nível de alerta, na sequência do duplo atentado terrorista de terça-feira em Bruxelas, que causou oficialmente 31 mortos e pelo menos 270 feridos.

"Houve muita confusão e gritos na entrada. O homem chegou à entrada dos estúdios e gritou: 'vamos explodir tudo'", relatou um dos funcionários da estação de rádio, que suspendeu entretanto as emissões.

"Ele tinha na mão o que parecia ser um detonador com um gatilho", acrescentou.

Um jornalista da mesma estação referiu que o homem chegou à rádio indicando que era portador de um cinto de explosivos.

"Causou muita ansiedade. Foi mais para assustar as pessoas após os ataques de Bruxelas e enquanto Obama visitava a Argentina", disse Eduardo Anguita, jornalista, indicando que o homem aparentava ter cerca de 50 anos.

O edifício dista apenas seis quarteirões do palácio presidencial da Casa Rosada, onde Obama se encontraria mais tarde com o homólogo argentino, Mauricio Macri.

Obama chegou hoje à Argentina, para uma visita de dois dias com o objetivo de restabelecer a confiança mútua e a cooperação entre os dois países.

O avião presidencial Air Force One, em que viajava Obama e família, aterrou no Aeroporto Internacional de Ezeiza pelas 01:10 locais (04:10 em Lisboa), vindo de Havana, Cuba.

Para quinta-feira, Obama tem prevista uma homenagem às vítimas da última ditadura militar do país (1976-1983).

O Presidente dos Estados Unidos visitará o Parque da Memória, que lembra os milhares de desaparecidos que deixou a ditadura.

Obama e a família permanecerão na Argentina após o fim da visita oficial, cumprindo uma viagem privada à Patagónia.

Devido aos atentados de terça-feira em Bruxelas, a Argentina decidiu aumentar o nível de alerta de segurança da visita de Obama.

Ler mais

Exclusivos