Helicóptero militar russo abatido no noroeste da Síria

Os cinco ocupantes do helicóptero morreram, anunciou entretanto a presidência russa. Helicóptero entregava ajuda humanitária em Alepo

Um helicóptero militar russo que participava numa operação humanitária em Alepo foi hoje abatido na província de Idleb, no noroeste da Síria, e os cinco ocupantes do aparelho morreram, anunciaram hoje autoridades russas.

"A 1 de agosto, na província de Idleb, disparos feitos do solo abateram um helicóptero de transporte militar Mi-8 que regressava à base aérea de Hmeimim depois de entregar ajuda humanitária na cidade de Alepo", informou o Ministério da Defesa em comunicado.

Um porta-voz do Ministério citado pelas agências russas precisou que a bordo seguiam três tripulantes e dois oficiais e que se desconhecia na altura o seu estado e paradeiro, mas a presidência russa precisou mais tarde que todos os cinco morreram na queda do aparelho.

O conflito que desde 2011 opõe o regime sírio a grupos opositores e organizações 'jihadistas' já fez mais de 280.000 mortos.

Segundo a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos, no mês de julho morreram pelo menos 4.794 pessoas, menos que em junho, quando se registaram 4.823 mortes.

Entre os mortos de julho figuram 1.590 civis, 341 deles crianças, a maioria (779) vítimas de bombardeamentos das forças do regime e russas. Pelo menos 45 outros foram mortos por membros do grupo extremista Estado Islâmico, 163 por disparos de grupos rebeldes e 148 por bombardeamentos da coligação internacional, entre outros motivos.

Por outro lado, pelo menos 617 membros de grupos sírios e curdos que combatem o regime foram mortos em julho, 1.262 combatentes estrangeiros do Estado Islâmico e do ramo da Al-Qaida na Síria, a Frente al-Nosra e três desertores do exército sírio.

Nas fileiras do regime registaram-se 554 mortes de membros das forças regulares e 643 de membros de milícias aliadas do regime, segundo o Observatório.

Ler mais

Exclusivos