"Heil Trump". Nacionalistas fazem saudação nazi para celebrar presidente eleito

Donald Trump conta com o apoio do movimento alternativo de direita

"Heil Trump! Heil our people! Heil our vitory", gritou-se durante a conferência do movimento alternativo de direita National Policy Intitute, este sábado, em Washington. Cerca de 200 nacionalistas juntaram-se para falar da ideologia apregoada por este grupo e saudou a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais norte-americanas.

Segundo conta a revista The Atlantic, à noite, quando a maioria dos jornalistas já havia saído do Ronald Reagan Building, onde decorreu o encontro, o líder Richard B. Spencer subiu ao palanque e fez um discurso carregado de antissemitismo, com referências óbvias ao nazismo.

Além da saudação "Heil Trump! Heil our people! Heil our vitory", Spencer referiu-se à imprensa como "Lügenpresse", a palavra alemã que os nazis usavam para se referir aos seus críticos na imprensa.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.