Grupo fazia ameaças de bomba anónimas por encomenda

As chamadas eram feitas através da internet usando um sistema que torna impossível localizar a sua origem.

Os "evacuadores", como se denominam no Twitter, assumiram estar na origem de dezenas de ameaças de bomba feitas a escolas públicas na Inglaterra, França e Austrália.

O grupo, que diz operar a partir da Rússia, anunciava os seus serviços através da conta do twitter @Ev4cuati0nSquad. Num dos tweets o grupo escreve "Apoiamos o regime de Bashar al-Assad" e noutro, publicado a dia 26 de janeiro, explica: "Nós fazemos isto porque odiamos o governo Americano, temos autoridade e porque ADORAMOS espalhar o caos".

A conta, que entretanto foi suspensa, tinha como foto de perfil a imagem do presidente russo Vladimir Putin e uma bandeira associada ao grupo islamita libanês Hezbollah.

Num outro tweet o grupo publicou uma lista com os valores dos seus ditos serviços em que o custo das chamadas variava entre 5 e 50 Bitcoins (para escolas e grandes eventos desportivos, respetivamente).

A Bitcoin, uma moeda encriptada e usada online para efetuar transações diretas entre utilizadores, é independente de qualquer instituição financeira. À data em que foi escrito este artigo tinha um valor de mercado de 371.1 dólares.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.