Gritou "Alá é grande" e abriu fogo dentro do supermercado

Um homem foi detido esta tarde, suspeito de ser o autor de vários disparos dentro de um supermercado em Ourense, na Galiza.

Várias pessoas estavam dentro do estabelecimento comercial, pouco passava das 14.00 (13.00 em Portugal), quando o homem entrou e disparou.

Testemunhas garantem que o homem gritou "Alá é Grande" quando entrou com uma caçadeira dentro do supermercado da cadeia Mercadona. Fez pelo menos quatro disparos. Um dos tiros foi dirigido a um agente da polícia que tentava neutralizar o suspeito. Tentou roubar o dinheiro de uma das caixas.

O agente, à paisana e fora de serviço, aproximou-se do suspeito sem chamar a atenção e quando o homem carregava a armacom mais dois cartuchos, identificou-se e, com a sua pistola na mão, levou o alegado atirador entregar-se à polícia, conta o diário La Voz de Galicia.

O alegado atirador é um homem na casa dos 30 anos, de origem basca. Sofre de problemas psicológicos

O homem terá atirado mais duas vezes antes de ser imobilizado pelo agente no local. Pouco depois chegava o Corpo Nacional da Polícia, que levou o suspeito. O homem, segundo o La Vanguardia, não mostra arrependimento e não quer falar sobre o sucedido.

O alegado atirador é um homem na casa dos 30 anos, de origem basca. Sofre de problemas psicológicos e vive na proximidade do supermercado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".