Governo irlandês vai infringir regras orçamentais de Bruxelas

O Governo irlandês excederá em 200 milhões de euros o limite máximo fixado pelas autoridades de Bruxelas em relação ao aumento dos gastos públicos

O Governo irlandês não cumprirá alguns objetivos orçamentais fixados para 2016 e 2017 pela União Europeia (UE), mas não deverá ser penalizado por estas infrações, afirmou esta quarta-feira o Conselho Consultivo Orçamental, um órgão nacional independente.

O Governo de Dublin apresentou na terça-feira o orçamento para o próximo ano, que inclui um pacote de estímulo à economia avaliado em 1300 milhões de euros, 500 dos quais destinados a reduzir a carga fiscal e o resto a elevar a despesa pública.

O ministro das Finanças irlandês, Michael Noonan, sugeriu no mês passado que esse pacote seria da ordem dos mil milhões de euros, um número que o Conselho Consultivo Orçamental (FAC, na sigla em inglês) considerou então que estava "no limite do prudente".

Depois de ter sido indicado na terça-feira que o pacote terá mais 300 milhões de euros, o FAC confirmou que o orçamento "infringirá as regras este ano e no ano seguinte", mas o desvio "não será suficiente para receber multas de Bruxelas".

O presidente deste órgão, John McHale, recordou hoje que a UE reclama de Dublin uma melhoria do saldo estrutural de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016 e 2017 para baixar o défice, mas as contas preveem uma melhoria de só 0,3% do PIB durante este ano.

Segundo o perito, o Governo irlandês também excederá em 200 milhões de euros o limite máximo fixado pelas autoridades de Bruxelas em relação ao aumento dos gastos públicos no orçamento de 2017.

O ministro das Finanças reiterou, ao apresentar as grandes linhas do orçamento, que a economia está "de boa saúde" três anos depois do fim de um programa de assistência financeira da UE e do Fundo Monetário Internacional (FMI) no valor de 85 mil milhões de euros.

Noonan disse, na mesma ocasião, que a saída do Reino Unido da UE coloca desafios ao país que exigem medidas destinadas a atenuar os efeitos do "Brexit".

O ministro indicou que o PIB crescerá 4,2% este ano e 3,5% (uma revisão em baixa) em 2017.

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."