George Soros diz que União Europeia está "a cair aos bocados"

Magnata de origem húngara diz que se instalou "o pânico na política de asilo europeia"

A União Europeia "está a cair aos bocados", disse o magnata e filantropo norte-americano George Soros no Fórum Económico Mundial de Davos, na Suíça, na quinta-feira.

"A União Europeia está a cair aos bocados", disse Soros aos participantes no fórum, incluindo jornalistas, considerando que agora se instalou "o pânico na política de asilo europeia".

"Passamos a linha em que as entradas reduzem a capacidade dos países assimilarem ou integrarem os refugiados", acrescentou.

O multimilionário de origem húngara, que respondia a questões de um jornalista da Bloomberg no evento, acrescentou que a crise dos migrantes também afetou negativamente a chanceler alemã Angela Merkel.

Ela "queria pará-la (a crise dos migrantes), por isso arriscou o seu capital político e perdeu porque o seu gesto de abrir a Alemanha não foi devidamente preparado".

Para Soros, a Rússia estava numa "muito fraca posição" e enfrentava o "colapso iminente". Já a economia chinesa, apesar de estava a viver um período conturbado, tem mais latitude (...) do que a maioria dos outros países" , considerou.

O magnata afirmou também que a economia chinesa estava a passar por um momento difícil, que a reserva federal norte-americana (Fed) aumentou os juros demasiado tarde, e que o aspirante a candidato republicano Donald Trump estava a "fazer o trabalho" do grupo radical estado Islâmico.

Soros criticou a Fed, afirmando que os decisores "se atrasaram um ano a aumentar as taxas de juro, quando a economia norte-americana já estava em desaceleração".

E sobre o primeiro teste à corrida presidencial, previsto para 01 de fevereiro no Iowa, Soros -- que declarou apoio à aspirante a candidata democrata Hillary Clinton -- disse que Trump e um dos seus maiores rivais Ted Cruz estavam "a fazer o trabalho do estado Islâmico".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.