Furacão Matthew desce de intensidade ao largo da Florida

Antes de chegar à costa norte-americana, o Matthew deixou um rasto de morte nas Caraíbas

O furacão Matthew desceu de grau de intensidade de quatro para três (numa escala máxima de cinco) ao largo da Florida, ameaçando causar estragos no sudeste dos Estados Unidos após a destruição provocada nas Caraíbas.

O estado da Florida, que enfrenta a pior tempestade das últimas décadas, aguarda a aproximação do furacão da sua costa, segundo o Centro Nacional de Furacões, baseado em Miami.

O Matthew desceu para categoria três e deve manter-se assim durante a aproximação à costa, esperando-se algum enfraquecimento nas próximas 48 horas.

O olho do furacão, "extremamente perigoso", move-se já para a Florida e espera-se que chegue à Georgia e à Carolina do Sul no sábado, segundo o centro.

Cerca de 180 mil casas estão sem luz na Florida (EUA) devido à aproximação do furacão: de acordo com a empresa Florida Power & Light, a principal elétrica do estado, à 01:00 (06:00 em Lisboa), 179.980 casas estavam sem luz, a maioria em Palm Beach (71.010) e Martin (26.430).

O número, que somado às 88.660 casas onde já foi restabelecido o serviço, resulta num total de 268.640 afetadas pelo Matthew, um furacão que o governador da Florida, Rick Scott, apresenta como uma ameaça "mortal" para os cidadãos.

Às 02:00 (07:00 em Lisboa), o Matthew estava a 70 quilómetros de Vero Beach.

Rajadas de ventos sopravam a 112 quilómetros por hora na cidade, enquanto o olho da tempestade gerava ventos sustentados de 193 quilómetros por hora.

Os efeitos do furacão são esperados em breve na Florida, com inundações severas nas próximas 48 horas a atingirem também a Carolina do Sul.

Antes de chegar à costa norte-americana, o Matthew deixou um rasto de morte nas Caraíbas, causando mais de 300 mortos no Haiti, de acordo com um senador do sul do país, a zona mais afetada.

Apenas uma mão cheia de furacões com esta intensidade tocaram terra na Florida e nenhum desde 1898 ameaçou avançar pelo norte em zonas costeiras densamente populadas, como a Georgia e os estados mais além.

Ler mais

Exclusivos