Furacão Irma: Pelo menos três mortes no estado da Florida

Tempestade atingiu em força o extremo sul da Florida com ventos de 215 quilómetros/hora

O furacão Irma, que hoje atingiu em força o extremo sul da Florida com ventos de 215 quilómetros/hora, já causou pelo menos três mortes naquela região dos Estados Unidos, informaram meios de comunicação locais.

"Rezem por nós", pediu o governador do estado da Florida, Rick Scott, numa entrevista à ABC News citada pela agência Reuters.

Depois de pelo menos 25 pessoas terem morrido nas Caraíbas devido ao Irma, outras três na Florida já morreram nesta que é considerada uma das mais poderosas tempestades de que há memória. Segundo a ABC News, uma das mortes foi a de um homem que terá perdido o controlo do camião que conduzia devido à intensidade do vento, na localidade Monroe, acabando por se despistar.

Citado pela agência de notícias espanhola Efe, o presidente do município de Monroe, Rick Ramsay, indicou que as autoridades apenas retiraram o corpo quando viram que podiam "sair e removê-lo de forma segura", ou seja, quando os ventos acalmaram.

As outras duas mortes registaram-se na localidade de Hardee, no interior da Florida, e terão ocorrido na sequência de um choque frontal de automóvel provocado pelas fortes chuvas associadas ao furacão.

As autoridades locais solicitaram que a população evitasse deslocar-se de automóvel, fazendo-o apenas quando fosse estritamente necessário.

Uma mulher do bairro Little Haiti, em Miami, deu à luz sozinha, recebendo instruções de uma equipa médica pelo telefone. Mãe e bebé, uma menina, estão bem e conseguiram entretanto chegar ao hospital.

O "muro do olho" do furacão -- onde os ventos são mais fortes -- tocou a ponta sul do arquipélago das Keys, indicou o NHC num comunicado às 11:00 TMG (12:00 em Lisboa).

O mesmo organismo alerta para a população para não sair caso os ventos acalmem. "Os ventos mudam dramaticamente e fazem-no de forma violenta. Fiquem no interior", avisa.

Algumas comunicações oficiais deixaram de funcionar e estima-se que mais de um milhão de casas ficaram sem eletricidade.

A empresa Florida Power & Light precisou que 574.000 dos clientes com cortes de energia pertencem à área de Miami-Dade County, 360.000 à de Broward e perto de 136.000 à zona de Palm Beach County.

O meteorologista Simon Brewer partilhou um vídeo que demonstra a intensidade dos ventos.

O fotógrafo Mike Theiss mostra algumas consequências da chegada da tempestade:

A CNN mostra o poder da natureza neste vídeo:

E aqui está o amanhecer:

O Irma, que recuperou a categoria 4 numa escala de 5, desloca-se lentamente para a costa oeste da Florida continental a 15 quilómetros por hora.

O furacão Irma, o mais poderoso registado no Atlântico, fez pelo menos 25 mortos à passagem pelas Caraíbas.

Tinha depois reduzido de intensidade, descendo para a categoria 3, mas voltou à categoria 4 (numa escala de 5) ao aproximar-se da Florida.

Ontem, o governador deste estado norte-americano, Rick Scott, voltou aos ecrãs de televisão para um último alerta. "Se receberam ordens de evacuação, saiam agora. Não é esta noite. É agora. Assim que a tempestade chegar, as forças de segurança não vos podem salvar", disse, alertando para o risco de subida do nível das águas 4,5 metros acima do normal. "Pensem nisso, vai cobrir as vossas casas. Vocês não vão sobreviver."

Ler mais

Exclusivos