Funcionários do Senado filipino obrigados a realizar teste de drogas

O Senado filipino vai obrigar os seus cerca de 400 funcionários a fazerem testes para despistar o consumo de drogas. Os senadores eleitores ficam de fora desta diretiva

Os cerca de 400 funcionários do Senado filipino são a partir de hoje obrigados a passar por um teste de drogas, anunciou o presidente daquele órgão, Tito Sotto.

De forma a demonstrar o seu compromisso com esta diretiva e com a luta contra a droga, Tito Sotto foi o primeiro a realizar o teste, esta manhã, seguido pelo senador Gringo Honasan.

A diretiva não obriga os senadores eleitos a fazerem o teste, apenas vincula os restantes funcionários, que foram surpreendidos hoje por esta diretiva.

De acordo com os 'media' locais, o teste procura analisar a existência de cocaína no sangue e metanfetaminas conhecidos como 'shabu', muito consumidos nas Filipinas devido ao seu baixo custo.

Desde que foi eleito chefe de Estado das Filipinas, Rodrigo Duterte lançou uma forte ofensiva governamental contra o tráfico de droga.

Segundo as organizações de direitos humanos, além de 4.200 mortos em operações policiais, há que contabilizar 23.500 homicídios que estão a ser investigados, dos quais entre 12 a 15.000 serão assassinatos encobertos pelo clima de impunidade da campanha antidrogas.

Ler mais

Exclusivos