Forte explosão numa padaria em Paris faz pelo menos 4 mortos

Explosão esta manhã na capital francesa provoca quatro mortos e cerca de 30 feridos.

Quatro pessoas, entre as quais dois bombeiros morreram este sábado na sequência de uma forte explosão que aconteceu antes das 9:00 da manhã, numa padaria no 9.º bairro de Paris, capital de França. Há ainda pele menos 30 pessoas feridas devido à explosão que provocou danos nos edifícios e destruiu montras nas redondezas, segundo a polícia e jornalistas da agência France-Presse presentes no local.

Entre as vítimas, há pelo menos 8 feridos graves, escreve o jornal Le Figaro. Segundo várias fontes, os bombeiros já estavam no local a combater as chamas quando ocorreu a explosão, pelo que haverá dois bombeiros entre os feridos graves.

As autoridades investigam uma fuga de gás na Rue de Trévise como a principal pista para explicar o sinistro.

A explosão destruiu montras das redondezas e vidros de janelas de habitações.

Fonte oficial da secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas disse à Lusa que o Consulado de Paris está a monitorizar a situação e não há, até ao momento, informação de portugueses entre as vítimas.

O ministro do Interior, Cristophe Castaner, e o primeiro-ministro, Édouard Philippe, dirigiram-se imediatamente para o local, onde estiveram mais de 200 bombeiros e uma centena de polícias. Também Anne Hidalgo, presidente da Câmara de Paris, esteve no local do incidente.

A cidade de Paris está hoje em alerta de segurança também devido a mais uma manifestação dos "coletes amarelos", com 5 mil polícias nas ruas da cidade. Em toda a França estão mobilizados cerca de 80 mil polícias e agentes dos serviços de segurança.

Este é o nono sábado de mobilização contra o aumento dos combustíveis, por uma taxação mais justa e contra a queda do poder de compra. A emblemática torre Eiffel estará fechada hoje, tal como uma dezena de museus em Paris, para prevenir qualquer impacto de uma possível manifestação marcada pela violência.

Estas são algumas das imagens do local da explosão que têm sido partilhado nas redes sociais:

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.