Filho mais velho de Trump compara refugiados sírios a doces estragados

"Esta imagem diz tudo", escreveu na segunda-feira Donald Trump Jr, 38 anos, num 'tweet' mostrando uma fotografia de uma tigela com as drageias coloridas.

O filho mais velho do candidato republicano à Casa Branca Donald Trump comparou na rede social Twitter os refugiados sírios a uma tigela com drageias de chocolate de várias cores, algumas das quais estragadas.

Sob a imagem lê-se a frase: "Se tivesse uma tigela de drageias e eu lhe dissesse que apenas três delas o poderiam matar, tirava uma mão cheia? Este é o nosso problema com os refugiados sírios".

A mensagem com o logótipo e o slogan da campanha presidencial foi objeto do escárnio dos utilizadores da rede social.

"Nem sou grande apreciadora de Skittles (uma marca daquelas drageias), mas agora vou comprar todos os pacotes", escreveu @SarahSahim.

"É o novo slogan da campanha de Donald Trump 'Tenham medo do arco-íris'"?, questionou @AngrySalmond.

Donald Trump tem sido muito criticado devido aos seus comentários sobre raça, imigrantes e refugiados, incluindo a defesa da proibição de entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

O candidato republicano opõe-se fortemente ao plano do presidente norte-americano, Barack Obama, de receber no país até ao final deste mês 10.000 refugiados sírios.

Mais de 4,8 milhões de sírios deixaram o seu país devido à guerra que já matou mais de 300.000 pessoas desde março de 2011.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.