Famosos gravam vídeo a apelar à luta pela democracia no Brasil

Gregório Duvivier, Chico César, Letícia Sabatella, "contra o golpe", defendendo que a luta contra a corrupção não deve sobrepor-se à democracia

Um grupo de rostos conhecidos da cultura brasileira protagoniza um vídeo divulgado esta quarta-feira, que constitui um apelo à luta pela democracia, "contra o golpe".

Os participantes no vídeo, que incluem o humorista Gregório Duvivier ou a cartoonista Laerte, afirmam ser "contra a corrupção". Mas "todo o mundo é contra a corrupção, inclusive quem é corrupto". Para os atores, músicos e artistas que participam no vídeo, o que importa é ser "a favor da democracia", para que haja liberdade de denunciar e investigar a corrupção, que, afirmam, nunca foi tão investigada como hoje.

Os artistas pedem mesmo que não se repita o golpe militar de 1964, que derrubou o governo democrático do Brasil em nome do combate à corrupção. "Queremos combate à corrupção, mas com democracia", ouve-se no vídeo.

Uma nota no final das imagens esclarece que o vídeo não foi financiado por qualquer partido, tendo as caras conhecidas que nele entram participado voluntariamente.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.