Fábrica de tratores e voos regulares: EUA e Cuba confirmam reaproximação

Velhos rivais da Guerra Fria, os dois países restabeleceram relações diplomáticas em finais de 2014.

Um ano depois de os dois países terem restabelecidos as relações diplomáticas, o governo de Barack Obama aprova agora a construção de uma fábrica norte-americana em Cuba.

Uma pequena empresa do Alabama prepara-se para construir as instalações que irão produzir cerca de 1000 tratores por ano para vender a agricultores privados.

O projeto, aprovado esta segunda-feira, surge na mesma altura que os velhos rivais da Guerra Fria assinam um contrato para restabelecer os voos comerciais entre os dois países pela primeira vez em mais de 50 anos.

Este será o primeiro investimento dos EUA em Cuba, mais de meio século depois do embargo comercial aplicado ao regime comunista de Fidel Castro.

Protegido por uma série de leis complexas, o embargo continua em vigor e só poderá ser revogado pelo Congresso, dominado pela maioria republicana.

O presidente Barack Obama, anunciou a recuperação dos laços diplomáticos em dezembro de 2014, mas já em 2009 priorizava já o desenvolvimento da iniciativa privada em Cuba. Desde então o seu governo tem vindo a explorar brechas no embargo para aprovar uma série de decretos que facilitem os negócios entre os dois países.

Os empresários do Alabama que receberam a licença de concessão da fábrica, esperam começar a produzir tratores no início de 2017 e têm como objetivo empregar cerca de 300 cubanos.

O ministro cubano do Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro, Rodrigo Malmierca Díaz, iniciou na segunda-feira uma visita de quatro dias aos Estados Unidos, acompanhado por representantes do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Banco Central, Câmara de Comércio e de empresas cubanas.

Saul Berenthal, um dos sócios da empresa do Alabama, nasceu em Cuba mas abandonou a ilha com 16 anos. Para o empresário, após 60 anos de relações cortadas "qualquer coisa que possa fazer para unir os dois países e a sua gente é tremendamente satisfatório", disse à Associated Press.

Ler mais

Exclusivos