Explosão em Estrasburgo faz quatro feridos

Uma explosão num silo de cereais em Port-du-Rhin, na zona portuária de Estrasburgo, fez quatro feridos. Fogo está controlado

Pelo menos quatro pessoas ficaram feridas numa explosão num silo de cereais em Port-du-Rhin, pertencente à empresa Silostra, na zona portuária de Estrasburgo, nas margens do Reno, segundo avança a BMF TV.

O balanço inicial da Prefeitura de Bas-Rhin apontava para que 11 pessoas estivessem dentro do silo, quatro das quais ficaram feridas, três com gravidade tiveram de ser transportadas de helicóptero. As restantes estão a receber acompanhamento médico e psicológico no local.

Os bombeiros, através das redes sociais, pediram à população para evitar o local. Também as escolas irão continuar fechadas.

De acordo com a autarquia, a explosão ocorreu por volta das 09:20.

O acidente, cujas causas ainda são desconhecidas, provocou um incêndio e uma nuvem de fumo.

O incêndio foi entretanto controlado, conforme adiantou um comunicado da Prefeitura de Bas-Rhin​​​​​​.

O último ponto de situação foi feito às 16:00.

No local estão 108 bombeiros, apoiadas por 60 viaturas. O perímetro de segurança de 200 metros ao redor do silo continua ativo e as autoridades continuam a pedir para a população evitar a zona, a fim de não prejudicar as investigações.

Em atualização.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

E uma moção de censura à oposição?

Nos últimos três anos, o governo gozou de um privilégio raro em democracia: a ausência quase total de oposição. Primeiro foi Pedro Passos Coelho, que demorou a habituar-se à ideia de que já não era primeiro-ministro e decidiu comportar-se como se fosse um líder no exílio. Foram dois anos em que o principal partido da oposição gritou, esperneou e defendeu o indefensável, mesmo quando já tinha ficado sem discurso. E foi nas urnas que o país mostrou ao PSD quão errada estava a sua estratégia. Só aí é que o partido decidiu mudar de líder e de rumo.