Pelo menos 16 mortos em explosões e tiroteio dentro de mesquita em Cabul

Estado Islâmico reivindicou o atentado. Atacantes foram cercados dentro da mesquita pelas forças de segurança

Uma mesquita xiita em Cabul, capital do Afeganistão, foi alvo de um ataque esta sexta-feira que provocou pelo menos 16 mortos. Segundo a Reuters, que cita as autoridades locais, um bombista suicida fez-se explodir à porta da mesquita e outros entraram a seguir a disparar sobre os presentes.

Entre os mortos contam-se dois polícias e 14 civis. Há ainda 15 civis feridos.

O atentado foi reivindicado pelo Estado Islâmico, através da agência de notícias Amaq.

Testemunhas contaram à Reuters que os atiradores atiraram granadas para a mesquita e depois entraram a disparar, enquanto a polícia disse que a explosão foi provocada pelo bombista suicida.

Segundo a Al-Jazeera, os atiradores foram cercados dentro da mesquita, pelas forças de segurança.

O ataque ocorreu numa mesquita na zona de Qala-e-Najara, numa altura em que várias pessoas se juntavam para as orações da tarde de sexta-feira, um dia especial na religião islâmica.

O porta-voz do ministro do Interior, Najib Danish, confirmou que eram pelo menos quatro atacantes. "Pelo menos três pessoas entraram na mesquita e começaram a disparar", disse o porta-voz à Al-Jazeera.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".