Ex-Presidente Bush hospitalizado um dia após funeral da mulher

O ex-Presidente norte-americano George H. W. Bush, de 93 anos, foi hospitalizado no Texas no domingo, um dia após as exéquias da mulher, Barbara, devido a "uma infeção que se disseminou no sangue", anunciou hoje o seu porta-voz.

"O Presidente Bush foi admitido no hospital Houston Methodist no domingo de manhã, depois de ter apanhado uma infeção que se disseminou no sangue. Está a responder aos tratamentos e parece estar a recuperar", escreveu o seu gabinete num comunicado replicado via rede social Twitter pelo seu porta-voz, Jim McGrath.

O republicano que foi o 41.º Presidente dos Estados Unidos, entre 1989-1993, depois de ter sido vice-presidente de Ronald Reagan, sofre da doença de Parkinson, o que o obriga há vários anos a deslocar-se de cadeira de rodas.

Foi na mesma cidade texana de Houston que se realizaram, no sábado, as cerimónias fúnebres de Barbara Bush, o pilar de uma das maiores famílias políticas do país, que morreu a 17 de abril, aos 92 anos.

George H. W. Bush, seu marido durante 73 anos, esteve presente, apertando a mão de muitos convidados.

Juntos, os Bush tiveram cinco filhos, entre os quais George W. Bush, presidente entre 2001 e 2009, 17 netos e sete bisnetos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Falem do futuro

O euro, o Erasmus, a paz. De cada vez que alguém quer defender a importância da Europa, aparece esta trilogia. Poder atravessar a fronteira sem trocar de moeda, ter a oportunidade de passar seis meses a estudar no estrangeiro (há muito que já não é só na União Europeia) e - para os que ainda se lembram de que houve guerras - a memória de que vivemos o mais longo período sem conflitos no continente europeu. Normalmente dizem isto e esperam que seja suficiente para que a plateia reconheça a maravilha da construção europeia e, caso não esteja já convertida, se renda ao projeto europeu. Se estes argumentos não chegam, conforme o país, invocam os fundos europeus e as autoestradas, a expansão do mercado interno ou a democracia. E pronto, já está.