Ex-espião russo teve alta hospitalar

Dois meses depois de ter sido envenenado por um agente neurotóxico, no Reino Unido, o ex-espião russo, Sergei Skripal, teve esta sexta-feira alta do hospital de Salisbury

O antigo espião russo, Sergei Skripal, teve hoje alta hospitalar. A 4 de março, o ex-espião e a filha, Yulia Skripal, foram internados depois de terem sido vítimas de um ataque com Novichok, um agente neurotóxico, em Salisbury, Inglaterra.

Um mês depois de ter sido hospitalizada, a filha do ex-espião russo teve alta.

O caso despoletou uma crise diplomática entre o Reino Unido e a Rússia. Londres acredita que Moscovo está por detrás deste ataque, mas as autoridades russas negaram as acusações.

O Reino Unido suspendeu os "contactos bilaterais" com o Kremlin e expulsou 23 diplomatas russos. Vários países ocidentais seguiram o exemplo de Londres. Os EUA, por exemplo, anunciaram a expulsão de 60 diplomatas russos. Moscovo respondeu da mesma forma.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

Há pessoas estranhas. E depois há David Lynch

Ganha-se balanço para o livro - Espaço para Sonhar, coassinado por David Lynch e Kristine McKenna, ed. Elsinore - em nome das melhores recordações, como Blue Velvet (Veludo Azul) ou Mulholland Drive, como essa singular série de TV, com princípio e sempre sem fim, que é Twin Peaks. Ou até em função de "objetos" estranhos e ainda à procura de descodificação definitiva, como Eraserhead ou Inland Empire, manifestos da peculiaridade do cineasta e criador biografado. Um dos primeiros elogios que ganha corpo é de que este longo percurso, dividido entre o relato clássico construído sobretudo a partir de entrevistas a terceiros próximos e envolvidos, por um lado, e as memórias do próprio David Lynch, por outro, nunca se torna pesado, fastidioso ou redundante - algo que merece ser sublinhado se pensarmos que se trata de um volume de 700 páginas, que acompanha o "visado" desde a infância até aos dias de hoje.