Ex-empresário russo exilado em Londres encontrado morto

Nikolai Glushkov era amigo íntimo de Boris Berezovsky, também encontrado sem vida em 2013. O caso foi considerado suicídio, mas Glushkov sempre defendeu a tese de homicídio

O russo Nikolai Glushkov, ex-vice-diretor da companhia aérea Aeroflot, que vivia no exílio em Londres, foi encontrado morto em casa, na capital britânica. A notícia foi avançada pelos media russos e surge dias depois do ex-espião russo Sergei Skripal e a sua filha Yulia terem sido envenenados, um ataque em que a primeira-ministra britânica, Teresa May, responsabiliza a Rússia.

O corpo de Nikolai Glushkov foi descoberto pela família e amigos no final da noite de segunda-feira. Glushkov tinha 68 anos e foi amigo íntimo do antigo aliado de Vladimir Putin, Boris Berezovsky, também ele encontrado morto, em 2013, na casa da sua ex-mulher, no Reino Unido.

Berezovsky foi um dos amigos mais poderosos do Vladimir Putin, mas fugiu para Londres em 2000, depois de se ter desentendido com o Presidente russo.

A morte foi considerada acidental, mas o próprio Nikolai Glushkov sempre disse que não acreditava que o amigo tivesse cometido suicídio.

"Não acredito na morte natural de Boris Berezovsky", disse Glushkov ao The Guardian, em 2013. "Sei que Boris foi morto. Tenho informações bastante diferentes do que está sendo publicado nos media". Glushkov comentou ainda sobre o elevado número de russos exilados que tinham morrido em circunstâncias misteriosas.

"Estão a acontecer muitas mortes [de emigrantes russos]", comentou Nikolai Glushkov.

De acordo com o jornal The Sun, não há nenhuma indicação de que o envenenamento do ex-expião russo esteja relacionado com a morte de Glushkov.

Nikolai Glushkov morava no Reino Unido, numa casa em Kingston, no sudoeste de Londres, depois de lhe ter sido concedido asilo político no país em 2010. Uma estação de rádio russa informou que Glushkov sofria de uma doença no sangue rara, mas ainda não foi avançada a causa oficial da morte do ex-empresário.

O magnata dos media, Demyan Kudryavtysev, partilhou na sua página de Facebook uma homenagem a Glushkov, com a legenda: "Temos amigos em comum".

Ler mais

Exclusivos