Eurodeputados reuniram secretamente com Coreia do Norte durante três anos

Revelação surge depois do anúncio de uma cimeira que decorrerá em maio e irá reunir os líderes norte-americano e norte-coreano

Uma delegação do Parlamento Europeu anunciou esta quarta-feira que negociou secretamente, durante três anos com a Coreia do Norte, um acordo para colocar fim ao programa nuclear da Pyongyang.

"Encontrámo-nos secretamente com representantes norte-coreanos por 14 vezes, compreendemos as suas preocupações e eles as nossas", disse o eurodeputado britânico conservador Nirj Deva em conferência de imprensa, à margem de uma sessão plenária do Parlamento Europeu.

Para colocar um fim nas tensões com a Coreia do Norte, a delegação defendeu "implacavelmente o diálogo sem condições prévias", explicou Deva.

A revelação surge após o anúncio de uma cimeira, a organizar em maio, que reunirá os líderes norte-americano e norte-coreano.

Nirj Deva acrescentou ainda que nos encontros entre o grupo de eurodeputados e os representantes da Coreia do Norte - entre os quais ministros -, foi dito que "caso continuassem com o programa de mísseis e o programa nuclear, isso iria levar a conclusões" que a comitiva prefere "não pensar".

Ao mesmo tempo, a delegação reuniu ainda com representantes dos EUA, China, Japão e Coreia do Sul, sempre com o objetivo de promover o diálogo a favor de "uma Península Coreana desnuclearizada".

Segundo Deva, a delegação do Parlamento Europeu teve um papel importante no desenvolvimento da confiança entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

Para além da cimeira que irá unir os dirigentes dos EUA e da Coreia do Norte, é discutida a possibilidade de um outro encontro, em abril, entre as duas Coreias para acalmar as tensões na península.

A União Europeia (UE) impôs várias sanções contra a Coreia do Norte como resultado dos seus programas de armamento e nucleares.

À semelhança da maioria dos seus Estados-membros, a UE mantém relações diplomáticas com a República Popular Democrática da Coreia desde 2001.

Atualmente, sete Estados europeus têm embaixadas em Pyongyang (Alemanha, Bulgária, Polónia, República Checa, Reino Unido, Roménia e Suécia).

Ler mais

Exclusivos