EUA mantêm sanções até "completa desnuclearização" de Pyongyang

Mike Pompeo reiterou que os "Estados Unidos ainda querem a "completa, verificável e irreversível" desnuclearização da Coreia do Norte

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, garantiu hoje que os Estados Unidos "não vão aliviar as sanções" até à "completa desnuclearização da Coreia do Norte", desmentindo assim as informações divulgadas por 'media' coreanos.

Em Seul, para discutir os resultados da histórica cimeira com os ministros dos Negócios Estrangeiros do Japão e da Coreia do Sul, Taro Kono e Kang Kyung-wha, respetivamente, Mike Pompeo reiterou que os "Estados Unidos ainda querem a "completa, verificável e irreversível" desnuclearização da Coreia do Norte.

Na quarta-feira, o chefe da diplomacia norte-americana disse esperar que "o essencial do desarmamento nuclear" da Coreia do Norte ocorra até ao final do mandato de Donald Trump, em 2020.

O Presidente dos Estados Unidos e o líder norte-coreano tiveram na terça-feira um encontro histórico em Singapura, no final do qual Donald Trump disse estar preparado para iniciar uma nova etapa nas relações com a Coreia do Norte e Kim Jong-un comprometeu-se com a desnuclearização completa do arsenal de Pyongyang.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.