EUA acusam Rússia de tentar que Turquia e "muitos aliados" se distanciem da NATO

"Creio que a Rússia está a tentar que a Turquia nos vire as costas", afirmou a embaixadora dos EUA na Aliança Atlântica

Os Estados Unidos acusaram este domingo a Rússia de tentar que a Turquia e "muitos aliados" de Washington se distanciem da NATO para destabilizar a "aliança mais forte da história".

"Creio que a Rússia está a tentar que a Turquia nos vire as costas, o que está a fazer com muitos dos nossos aliados. Querem destabilizar a aliança mais forte da história, que é a NATO [Organização do Tratado do Atlântico Norte]", afirmou a embaixadora dos EUA na Aliança Atlântica, Kay Bailey Hutchison, numa entrevista à cadeia televisiva Fox.

A diplomata revelou-se, no entanto, cética quanto ao possível sucesso da 'manobra' do Kremlin, uma vez que Ancara está a ajudar Washington "há muito tempo".

"Sabemos que a Rússia está a tentar consegui-lo, mas também sabemos que [os turcos] são fortes", referiu, acrescentado, na rede social Twitter, que a NATO "está unida" e que as tentativas de Moscovo para separar os parceiros "não irão funcionar".

As declarações de Kay Bailey Hutchison surgem a escassos dias de o Presidente norte-americano, Donald Trump, fazer um mini périplo europeu, que começa na terça-feira em Bruxelas, onde se realiza na quarta e quinta-feira a cimeira da NATO, e termina com uma visita à capital finlandesa, Helsínquia, onde se reunirá com o Presidente russo, Vladimir Putin.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.