"Estamos a rezar por cada um de vocês." A mensagem do mineiro chileno

Manuel Sepulveda esteve 69 dias preso numa mina no Chile, em 2010, agora deixa mensagem de apoio ao grupo de crianças e jovens tailandeses presos há 13 dias numa gruta

Um dos 33 mineiros que esteve preso em 2010, durante 69 dias, numa mina no Chile gravou uma mensagem de apoio às famílias e às crianças que estão presas numa gruta no norte da Tailândia, há 13 dias.

Manuel Sepulveda publicou o vídeo no Facebook onde vestido com colete refletor e o capacete de mineiro diz às famílias e às crianças que estão todos "a rezar por cada um de vocês". "Não tenho dúvidas que se o governo da Tailândia põe todos os esforços nesta operação, ela será bem-sucedida", diz, a sua curta mensagem de 40 segundos.

Fez questão de enviar "esperança e muita força a todas as autoridades e aos familiares dos 12 meninos" que estão presos na gruta Tham Luang Nang Non, no norte da Tailândia.

Entretanto continuam os trabalhos de resgate e, segundo um voluntário dinamarquês contou à Sky News, tudo indica que entre esta sexta-feira e sábado as 12 crianças e o seu treinador vão ser retiradas da gruta. As autoridades podem estar a tentar esta solução já por causa das previsões de chuva intensa para os próximos dias.

Além disso o nível de oxigénio já baixou dentro da gruta e os mergulhadores tentam restabelecer os níveis colocando botijas de oxigénio. Nessa operação, um ex-militar da marinha tailandesa acabou por morrer, esta sexta-feira.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.