Esperados 90 mil visitantes em festival no Little Portugal de Toronto

Este é já o quinto ano do festival

A zona portuguesa de Toronto conhecida como "Little Portugal" deverá receber cerca de 90 mil visitantes durante um festival de rua a realizar no dia 03 de junho, disse hoje à agência Lusa, uma promotora.

O 'Dundas West Fest' vai percorrer a Dundas Street West, deste a Ossington Avenue até à Lansdowne Avenue, das 11:00 da manhã, do dia 3 de junho, até à meia-noite.

"Estamos já no quinto ano do festival. Nesta edição esperamos receber cerca de 70 a 90 mil visitantes", afirmou Anabela Taborda, presidente da direção do Associação Comercial e Serviços (BIA) do 'Little Portugal', que organiza o certame, numa parceria com as autoridades da 'Dundas West.

A aposta deste ano é num "maior envolvimento" dos comerciantes locais, além de uma maior interação entre as duas associações comerciais e de serviços.

Mais de 400 estabelecimentos comerciais localizados na Dundas Street West vai colaborar no festival, a maioria terá os seus produtos expostos em esplanadas.

Estão também confirmados mais de 150 participantes externos das mais diversas áreas, desde gastronomia, passando pelo desporto, cultura e pela diversão.

O mercado de roupa usada (vintage) é outro dos "destaques" do certame, verificando-se também uma área onde estarão em exibição cabras.

A comunidade portuguesa é aquela com maior expressão no bairro, juntamente com a vietnamita, e os seus produtos serão expostos ao longo da rua, que estará cortada ao trânsito e acessível aos peões.

Estarão também montados quatro palcos com artistas locais, sendo que do meio-dia até às 17:00, a rádio comunitária, CIRV FM, terá uma emissão especial, com artistas locais portugueses, num palco.

"Esta é uma festa comunitária, não só dos portugueses, mas de todas as outras comunidades que residem nesta área", sublinhou.

Ambas as direções das Associações Comerciais e Serviços (Little Portugal e Dundas West) pretendem fundir-se numa única estrutura.

"É um processo que terá de ser aprovado pelos associados e pela Câmara Municipal de Toronto, que "deverá só acontecer em 2018", concluiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

No PSD não há inocentes

Há coisas na vida que custam a ultrapassar. A morte de alguém que nos é querido. Uma separação que nos parece contranatura. Ou uma adição que nos atirou ao charco e da qual demoramos a recuperar. Ao PSD parece terem acontecido as três coisas em simultâneo: a morte - prematura para os sociais democratas - de um governo, imposta pela esquerda; a separação forçada de Pedro Passos Coelho; e uma adição pelo poder que dá a pior das ressacas em política.