Por amor foi ver uma tourada...e converteu-se. "Vivia na ignorância"

Argentino diz agora que "vivia num mundo dominado pela ignorância" e pelas mentiras. Tornou-se um adepto convicto da tauromaquia

Patricio Gordon era um fervoroso crítico da tauromaquia e descrevia cada espetáculo de tourada como "um ato diabólico e atormentador", até que foi ver um com a namorada. Nessa altura, o argentino mudou completamente de opinião e tornou-se um fã da tauromaquia ao ponto de transformar a casa num museu taurino, escrever um livro sobre o assunto e ensinar o filho de dois anos a tourear.

Olhando para trás, Gordon afirma que, antes de ver o primeiro espetáculo de tourada, há mais de dez anos, "vivia num mundo dominado pela ignorância".

Numa entrevista ao El Mundo, o homem contou que quando Gina Márquez, a namorada, o convidou para uma corrida de touros, Patricio respondeu: "Não, obrigado. Quando quero ver tortura compro um filme de terror".

Gina aconselhou-o a não definir como "tortura" algo que nunca tinha visto e levou-o ao espetáculo que viria a mudar a sua perspetiva.

"Aceitei ir para comprovar quão más são as corridas. Sempre as imaginei como um ato diabólico e atormentador", contou. "Quando entrou o primeiro touro na arena vi um grande ambiente e não me senti minimamente afetado até descobrir que é um animal que todos respeitam, admiram e em alguns casos mais ainda que ao toureiro".

"Notei nos aficionados muito interesse pelo estado físico e mental dos touros, protegendo-os quase, além de os admirarem. É algo que nunca esquecerei porque quando era contra a tourada imaginava que era tudo ao contrário", afirmou Gordon. O argentino pensava que "antes de entrar na arena batiam [nos touros], deixavam-nos em quartos escuros, não os alimentavam, maltratavam-nos e faziam outras maldades para os touros entrarem na arena fracos".

"Tudo o que pensava como antitaurino era uma simples fantasia criada por meios de comunicação mal informados, pessoas ignorantes e outras pessoas que provavelmente têm algum tipo de interesse", continuou Gordon, acrescentando que tudo "o que se diz na internet é uma mentira" que vai aumentado por causa do "boca a boca".

Desde que mudou radicalmente de opinião, o argentino e a família fazem uma viagem anual a Espanha para verem os principais espetáculos de tauromaquia, transformou a casa num museu com vários objetos do mundo taurino e está a ensinar o filho a arte de tourear, "já que a tauromaquia é um belo estilo de vida".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.