Equipa de futebol feminino do Tibete impedida de competir nos EUA

Jogadoras iam participar num torneio mas embaixada norte-americana entendeu que "não tinham uma boa razão" para viajar

Uma equipa de futebol feminino do Tibete que ia participar num torneio em Dallas, no estado norte-americano de Texas, foi impedida de viajar para os Estados Unidos. As 16 jogadoras não conseguiram vistos de entrada pois as autoridades norte-americanas entenderam que elas "não tinham uma boa razão" para visitar o país.

A equipa estava a planear a visita de 10 dias há vários meses com a organização do campeonato e ficou desiludida com a resposta da embaixada norte-americana em Deli, Índia. A maioria das jogadoras são refugiadas do Tibete na Índia e duas têm nacionalidade indiana.

"Eles disseram que nós não temos razões fortes para ir para Dallas", contou Jamyang Chotso, capitã da equipa, segundo The Guardian. "Mas acho que essa não foi a razão da rejeição. Achamos que eles pensam que vamos fugir quando chegarmos lá". As jogadoras têm entre 18 e 20 anos.

"Era um grande momento na vida de qualquer jogadora", contou a norte-americana e treinadora da equipa Cassie Childers à BBC. "Era a oportunidade delas de dizerem ao mundo que as mulheres do Tibete são capazes de conseguir qualquer coisa".

Childers contou que tem vergonha da decisão do seu país e que a possibilidade de fugirem nunca passou pela cabeça das jogadoras. "Temia este resultado porque os tibetanos normalmente têm dificuldades em obter vistos para os Estados Unidos porque as autoridades temem que eles peçam asilo", continuou a treinadora.

"A ideia de se envergonharem ou à equipa ou ao país deixa-as enojadas", acrescentou a treinadora, numa entrevista à AP.

Segundo a AP, esta equipa participou num torneio na Alemanha há dois anos sem qualquer problema em obter vistos de entrada. Contudo, a equipa de Childers deixou de fazer parte da Associação Nacional de Desporto do Tibete (TNSA, sigla em inglês) nos últimos tempos e passou a ser registada como uma associação de caridade em Nova Jérsia, Estados Unidos. Esta alteração pode ter influenciado a decisão das autoridades norte-americanas.

"Apesar das jogadoras desta equipa serem do Tibete, ela não representa oficialmente o Tibete", explicou à AP Kelsang Dhondup, secretária executiva da TNSA. "A TNSA é a única autoridade desportiva reconhecida pelo governo do Tibete e todos os convites para as nossas equipas oficiais passam pela TNSA e pelas autoridades do governo. Nós não recebemos nenhum convite de Dallas".

Childers contou que a equipa continua otimista e motivada apesar dos obstáculos. "As jogadoras estão muito otimistas. Eu estava muito abatida mas elas motivaram-me. Espero que sejamos convidadas para um local onde os tibetanos são bem-vindos. Se não, vamos apenas reunirmo-nos numa cidade indiana e continuar a praticar".

Outras quatro jogadoras da equipa de nacionalidade nepalesa ainda estão à espera da resposta da embaixada.

Ler mais

Exclusivos