Drone atingido por míssil de 3 milhões de dólares

Os mísseis Patriot são usados para combater aviação inimiga ou mísseis balísticos

"O drone, que custa 200 dólares (cerca de 190 euros) na Amazon, não teve hipóteses contra um Patriot". A frase é do general norte-americano David Perkins, numa conferência militar.

A declaração vem no seguimento do facto de um aliado dos EUA ter usado um míssil Patriot, geralmente usado para combater aviação inimiga ou mísseis balísticos, num pequeno drone.

"Nós adoramos os mísseis Patriot", acrescentou Perkins.

A BBC afirma que recentemente alguns grupos, por exemplo no Iraque, têm colado armas a pequenos drones comerciais, usando-os contra as forças de segurança.

No entanto, Perkins disse na conferência que a solução testada não é "viável economicamente", visto que cada míssil Patriot tem o custo de cerca de 3 milhões de dólares (valor que ronda os 2.8 milhões de euros).

"De facto, se for o inimigo, penso' vou ao eBay e compro o máximo de drones baratos que possa para tirar os Patriot todos do lado de lá'", disse o general.

Não existem grandes detalhes sobre o acontecimento, onde e quando teve lugar, apenas que quem lançou o míssil é um "aliado próximo" dos EUA.

Existem, no entanto, vozes discordantes da operação. Justin Bronk, investigador no Royal United Services Institute, diz tratar-se de um "esforço exagerado" e que mostra o "desafio que os militares têm pela frente, ao enfrentar baratas e rápidas armas civis com armamento e tecnologia de ponta".

Justin Bronk disse também à BBC que o sistema de radar dos mísseis Patriot, sendo bastante sofisticado, pode ter dificuldades em enquadrar-se com pequenos objetos.

Exclusivos