Donald Trump atira-se a loja que deixou de vender marca de Ivanka

Publicação do presidente no Twitter afetou as ações da marca. Há já várias acusações de conflito de interesses, mas também quem defenda a atitude

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump utilizou esta quarta-feira a sua conta no Twitter para criticar a cadeia de lojas Nordstrom por ter deixado de vender a linha de roupa da filha, Ivanka Trump.

"A minha filha Ivanka foi tratada muito injustamente pela Nordstrom. Ela é uma ótima pessoa - está sempre a incentivar-me a fazer a coisa certa. Terrível", escreveu o presidente no Twitter.

A Nordstrom explicou por comunicado na semana passada que a decisão de parar de vender os produtos de Ivanka Trump foi tomada devido à descida das vendas dos mesmos produtos.

"Sempre dissemos que tomamos decisões de negócio com base nas vendas. Neste caso, olhando para a performance que a marca tem tido, decidimos não comprar nenhum artigo nesta temporada", afirmou a porta-voz da Nordstrom.

A publicação de Trump afetou de imediato os mercados, fazendo com que o valor das ações da marca diminuíssem durante algum tempo, segundo o New York Times. O comentário de Trump levantou ainda a questão do conflito de interesses e da ligação do presidente aos negócios da família.

Algumas pessoas criticaram a publicação de Trump e outras aplaudiram o presidente por ter defendido a filha.

"Isto é algo que um pai diria. Não é o tipo de coisa que um presidente deva dizer", escreveu no Twitter Ari Fleischer, antigo secretáro de imprensa da Casa Branca.

Há ainda quem diga que vai deixar de comprar produtos da Nordstrom e a hashtag #boycottnordstrom (boicotem a Nordstrom, em português) tem sido usada por vários utilizadores.

"Apoiem Ivanka Trump, uma orgulhosa empresária americana", disse um utilizador.

Ler mais

Exclusivos