Donald critica Donald: "Com amigos destes, quem precisa de inimigos?"

Presidente do Conselho Europeu escreveu aos líderes da UE antes da reunião informal desta noite. Acordo nuclear iraniano e taxas alfandegárias foram os temas discutidos para se ensaiar uma resposta coletiva aos Estados Unidos

Os líderes dos países europeus encontraram-se hoje à noite em Sófia para definirem uma voz comum face à "atitude caprichosa" do presidente norte-americano no que respeita aos dossiês do nuclear iraniano e das novas barreiras comerciais. O mote foi dado pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk: "Hoje estamos a assistir a um novo fenómeno: a assertividade caprichosa da administração norte-americana. Quando observamos as últimas decisões do presidente [Donald Trump], podemos questionar-nos: com amigos destes, quem precisa de inimigos?", escreveu o dirigente polaco em carta endereçada aos chefes de governo da UE.

Ainda na Alemanha, Angela Merkel apelou para a continuidade das relações transatlânticas, de "importância capital". À saída da reunião do Partido Socialista Europeu, na capital búlgara, o PM português António Costa alinhou com Tusk, ao defender uma "Europa forte" num mundo onde se multiplicam "os fatores de crise e de tensão e onde os EUA não têm dado um bom contributo, para não dizer um contributo negativo".

O encontro realizou-se num jantar informal, organizado pela Bulgária, que ocupa a presidência rotativa da União Europeia. No repasto, os 28 discutiram temas como o acordo nuclear do Irão, as taxas alfandegárias norte-americanas às importações de aço e de alumínio.

A UE está isenta de taxas alfandegárias até 31 de maio de 25% sobre as exportações de aço e de 10% sobre as de alumínio. Na carta, Tusk apelou para o cerrar de fileiras pela isenção permanente das taxas. "É absurdo pensar que a UE possa ser uma ameaça para os Estados Unidos", comentou. Por sua vez, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, reiterou a "importância primordial" da manutenção do acordo com o Irão.

Na quinta-feira os 28 encontram-se com os seus pares da Albânia, Bósnia e Herzegovina, Sérvia, Montenegro, Macedónia e Kosovo. É a primeira vez em 15 anos que a UE realiza um encontro com os parceiros dos Balcãs. O objetivo é fortalecer os laços com essa região onde a Rússia tenta expandir a sua influência.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

Há pessoas estranhas. E depois há David Lynch

Ganha-se balanço para o livro - Espaço para Sonhar, coassinado por David Lynch e Kristine McKenna, ed. Elsinore - em nome das melhores recordações, como Blue Velvet (Veludo Azul) ou Mulholland Drive, como essa singular série de TV, com princípio e sempre sem fim, que é Twin Peaks. Ou até em função de "objetos" estranhos e ainda à procura de descodificação definitiva, como Eraserhead ou Inland Empire, manifestos da peculiaridade do cineasta e criador biografado. Um dos primeiros elogios que ganha corpo é de que este longo percurso, dividido entre o relato clássico construído sobretudo a partir de entrevistas a terceiros próximos e envolvidos, por um lado, e as memórias do próprio David Lynch, por outro, nunca se torna pesado, fastidioso ou redundante - algo que merece ser sublinhado se pensarmos que se trata de um volume de 700 páginas, que acompanha o "visado" desde a infância até aos dias de hoje.