Dois sismos registados no Equador e no Panamá no espaço de meia hora

Não se registaram quaisquer vítimas.

Dois sismos atingiram na quinta-feira à noite (madrugada de sexta-feira em Lisboa), no espaço de meia hora, o Equador e o Panamá, não se registando até ao momento quaisquer vítimas.

O terramoto de maior magnitude - 6,5 segundo o Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional - atingiu o Equador às 21:12 (03:12 em Lisboa), na fronteira com o Peru, na província de ​​​​​​​Chimborazo, com uma profundidade de 75 quilómetros e um epicentro localizado a 5,95 quilómetros de Cumandá.

Já de acordo com o Instituto de Geociências do Panamá, um sismo de magnitude 5,6 foi registado na região de Darien, que faz fronteira com a Colômbia.

O sismo, que não provocou feridos nem danos materiais de relevo, ocorreu às 20:47 (02:47 em Lisboa), com uma profundidade de 19,5 quilómetros.

Às 3.39 um sismo de magnitude 5,8 atingiu também o Chile, segundo dados do serviço geológico norte-americano (USGS).

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.