Dois sismos registados no Equador e no Panamá no espaço de meia hora

Não se registaram quaisquer vítimas.

Dois sismos atingiram na quinta-feira à noite (madrugada de sexta-feira em Lisboa), no espaço de meia hora, o Equador e o Panamá, não se registando até ao momento quaisquer vítimas.

O terramoto de maior magnitude - 6,5 segundo o Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional - atingiu o Equador às 21:12 (03:12 em Lisboa), na fronteira com o Peru, na província de ​​​​​​​Chimborazo, com uma profundidade de 75 quilómetros e um epicentro localizado a 5,95 quilómetros de Cumandá.

Já de acordo com o Instituto de Geociências do Panamá, um sismo de magnitude 5,6 foi registado na região de Darien, que faz fronteira com a Colômbia.

O sismo, que não provocou feridos nem danos materiais de relevo, ocorreu às 20:47 (02:47 em Lisboa), com uma profundidade de 19,5 quilómetros.

Às 3.39 um sismo de magnitude 5,8 atingiu também o Chile, segundo dados do serviço geológico norte-americano (USGS).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.