Dois espiões russos acusados pelos EUA de ataque informático à Yahoo

O Departamento de Justiça norte-americano anunciou hoje que indiciou quatro pessoas, incluindo dois agentes dos serviços secretos russos, pelo ataque cibernético ao gigante informático Yahoo.

De acordo com a acusação, os dois espiões russos terão "protegido, dirigido, facilitado e pago aos piratas informáticos criminosos" para levarem a cabo ataques cibernéticos nos Estados Unidos e noutros países, incluindo o acesso a várias contas de jornalistas e funcionários do Governo russo.

Segundo a acusação hoje divulgada, estes dois espiões, um russo e outro com dupla nacionalidade do Canadá e do Cazaquistão, terão também tentado aceder a contas de funcionários do Governo norte-americano e de empresas privadas de diversos países, incluindo dos Estados Unidos.

A acusação hoje revelada em Washington liga a maior agência de espionagem russa a um dos maiores ataques cibernéticos da história, que foi revelado no ano passado.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.