Dois caças chineses intercetam avião de norte-americano

Pentágono revela que aparelho teve de "efetuar uma manobra de desvio para escapar a uma possível colisão"

Um avião de reconhecimento norte-americano recorreu a uma manobra de desvio após ter sido intercetado por dois caças chineses sobre o Mar da China anunciou hoje o Pentágono.

O incidente ocorreu no domingo, quando dois aviões de caça J-10 chineses intercetaram um avião de reconhecimento Ep-3 da marinha norte-americana no espaço aéreo internacional a oeste da península coreana, declarou o porta-voz do Pentágono, capitão Jeff Davis.

Um dos aviões chineses colocou-se por debaixo do avião norte-americano, antes de reduzir a velocidade e forçando o avião norte-americano a "efetuar uma manobra de desvio para escapar a uma possível colisão", detalhou Jeff Davis.

O incidente "não é revelador" dos habituais comportamentos do exército chinês, precisou.

"É frequente acontecer a interceção de aviões no espaço aéreo internacional, na maior parte das situações em total segurança", acrescentou.

A China, Japão e Taiwan disputam o controlo de diversas pequenas ilhas que se encontram no mar da China oriental.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).