Diretor da CIA diz que Coreia do Norte está perto de um ataque nuclear

Mike Pompeo defende que os Estados Unidos têm de agir como se estivessem prestes a ser atacados pelo regime de Pyongyang

O diretor da CIA admite que a Coreia do Norte está a poucos meses de alcançar a capacidade de realizar um ataque nuclear. Mike Pompeo adverte, por isso, que os Estados Unidos têm de como se estivessem prestes a ser atacados pelo regime de Pyongyang.

"De uma perspetiva dos Estados Unidos, temos de nos comportar como se estivessem prestes a alcançar o objetivo de serem capazes de atingir os Estados Unidos", considerou ontem durante um discurso num fórum sobre segurança na Fundação para a Defesa da Democracia. Para o responsável máximo da CIA cabe aos Estado Unidos pensar em como travar esse "passos final".

"Aconteça na terça-feira ou de terça-feira a um mês, estamos num tempo em que o presidente concluiu que temos de fazer um esforço global para garantir que Kim Jong-un não obtém essa capacidade", acrescentou Mike Pompeo, um dos altos responsáveis norte-americanos que tem vindo a alertar para a possibilidade de um confronto militar perante a recusa da Coreia do Norte em travar o programa nuclear.

Estas declarações, lembra a CNN, surgiram um dia depois de o antigo diretor da CIA John Brennan ter dito que as hipóteses de um conflito com Pyongyang estavam entre os 20 e os 25%.

Os últimos meses têm sido marcados por troca de ameaças entre Estados Unidos e Coreia do Norte e exibições de poderio militar. Ainda ontem, o regime norte-coreano condenou as manobras navais que os Estados Unidos realizam juntamente com a Coreia do Sul esta semana na península coreana e ameaçou responder com um "ataque inimaginável".

"Os Estados Unidos enlouqueceram ao colocar sob os nossos narizes os alvos que tínhamos definido como primários. Os Estados Unidos deviam já esperar que fossem enfrentar um ataque inimaginável, num momento inimaginável", diz um texto do Comité de Emergência em Oposição aos Exercícios de Guerra Nuclear. "Isto demonstra que os Estados Unidos e as suas marionetas [em referência da Coreia do Sul] estão a preparar-se para um 'ataque preventivo'" contra a Coreia do Norte, acrescentou.

O número dois da representação diplomática da Coreia do Norte nas Nações Unidas (ONU) também afirmou na segunda-feira que uma guerra nuclear na península coreana "pode começar a qualquer momento".

O subsecretário de Estado norte-americano, John J. Sullivan, afirmou nesse mesmo dia, na sua visita a Tóquio, que a Casa Branca "não descarta" a possibilidade de dialogar diretamente com a Coreia do Norte, apesar do atual contexto de tensão. Sullivan defendeu assim a via diplomática para resolver a crise na região.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...