Novo susto em Londres com incêndio no mercado de Camden

Sete dezenas de bombeiros combateram hoje um incêndio, que não causou vítimas, no mercado de Camden Lock, popular zona turística de Londres, disseram as autoridades.

A Brigada de Bombeiros de Londres informou que dez veículos e 70 operacionais foram enviados para o local pouco depois da meia-noite quando as chamas deflagraram perto de Camden Stables. Três pisos e o telhado de um edifício do complexo arderam.

Ambulâncias deslocaram-se também para o local, mas as autoridades informaram que não há registo de feridos.

O mercado é muito popular entre turistas e locais, que são atraídos pelas lojas e vida noturna.

"O fogo estava a mover-se muito depressa. As pessoas estavam a assistir, mas nós estávamos com receio que o edifício pudesse explodir a qualquer momento, já que há restaurantes com cozinhas nas redondezas", descreveu uma testemunha.

Uma zona diferente do mercado foi consumida por um incêndio em 2008 e os lojistas ficaram impedidos de operar por vários meses.

O incêndio de hoje acontece menos de quatro semanas depois de um gigantesco fogo ter destruído o bloco de apartamentos Grenfell Tower, em Londres, causando pelo menos 80 mortos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.