Dez polícias feridos em confrontos com manifestantes em Saint Louis

Manifestantes saíram à rua para protestar contra a absolvição de um antigo agente da polícia branco no caso do homicídio de um homem negro

Dez polícias norte-americanos foram hospitalizados na sexta-feira à noite na sequência de confrontos com manifestantes no centro de Saint Louis, no estado do Missouri (centro-oeste), segundo um novo balanço das autoridades hoje anunciado.

Os confrontos registaram-se entre a polícia e centenas de manifestantes que saíram à rua para protestar contra a absolvição de um antigo agente branco no caso de homicídio de um suspeito negro, em 2011.

O protesto, inicialmente pacífico, degenerou em violência quando os manifestantes partiram uma janela e atiraram tinta contra a casa da presidente da câmara de St. Louis, Lyda Krewson.

A polícia antimotim disparou granadas de gás lacrimógeneo para dispersar o grupo. Posteriormente, foram destacados pelo menos dois veículos blindados para a zona.

Os primeiros protestos começaram na manhã de sexta-feira, depois de um juiz ter absolvido o antigo agente da polícia de St. Louis Jason Stockley, de 36 anos, de homicídio premeditado de Anthony Lamar Smith, de 24 anos, em 2011.

A multidão foi aumentando ao longo do dia, com os manifestantes a entoarem cânticos e a empunharem cartazes em que se pode ler "Black Lives Matter" (Vidas negras importam).

O protesto começou pelas 09:40 (horas locais) no exterior do tribunal Carnhan, no centro da cidade, com os manifestantes a exigiram justiça.

Stockley alvejou Lamar Smith cinco vezes depois de uma perseguição numa autoestrada, afirmando ter visto Smith a segurar uma arma antes do início da perseguição.

Em 2013, Stockley deixou a polícia e mudou-se para Houston.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.