Dez mortos e dois feridos em queda de avião em zona residencial

As vítimas são passageiros do avião e habitantes de uma das casas atingidas

Dez pessoas morreram e outras duas ficaram feridas devido à queda de um avião bimotor nos arredores da capital das Filipinas, quando se despenhou numa zona residencial a cerca de 35 quilómetros do centro de Manila, adiantou a EFE.

As vítimas mortais são cinco passageiros do avião Piper PA-23 Apache, e cinco cidadãos filipinos, membros da mesma família, que se encontravam a tomar uma refeição em casa no momento do acidente, segundo as autoridades.

Os dois feridos são uma mulher e o seu neto, vizinhos das vítimas mortais, que foram transportados para o hospital para receberem tratamento para queimaduras ligeiras.

O aparelho embateu numa árvore depois de descolar do aeroporto de Plaridel e depois num poste elétrico antes de se despenhar sobre a casa, de acordo com o superintendente Julio Lizardo da polícia de Plaridel.

A Autoridade de Aviação Civil das Filipinas abriu uma investigação ao acidente do aparelho da companhia aérea Lite Air Express, que recebeu ordem para manter temporariamente todos os seus aviões em terra.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".