Detidos três suspeitos por suposta ligação ao ataque em Jacarta

Pelo menos sete pessoas, incluindo cinco atacantes e dois civis, morreram no atentado, que também causou mais de 20 feridos

A polícia da Indonésia deteve hoje três pessoas pela suspeita de estarem relacionadas com o ataque ocorrido na quinta-feira emJacarta, cuja autoria foi reivindicada pelo grupo extremista Estado Islâmico, informam meios de comunicação locais.

Pelo menos sete pessoas, incluindo cinco atacantes e dois civis, morreram no atentado, que também causou mais de 20 feridos.

As autoridades indonésias entraram em ação ao início do dia de hoje, com rusgas a uma casa situada no subúrbio de Depok, no sul da capital, onde dormiam os três suspeitos, declarou o oficial Dwiyono à cadeia televisiva MetroTV.

A televisão local mostrou imagens dos homens algemados a serem escoltados pela polícia, que também apreendeu os pertencentes encontrados no interior da casa.

Os suspeitos foram transferidos para instalações policiais, onde serão interrogados sobre as suas eventuais ligações aos ataques, disse o responsável.

As autoridades anunciaram hoje um reforço da segurança nos pontos-chave da cidade que, na manhã de quinta-feira, foi palco de múltiplas explosões e de tiroteios no bairro de Jalan Thamrin, uma zona central de Jacarta, onde se localizam vários hotéis e restaurantes frequentados por estrangeiros e escritórios da ONU.

O número de agentes nas imediações de embaixadas e hospitais foi redobrado, tendo também sido adotadas mais medidas em centros comerciais.

País com a maior população muçulmana do mundo, onde 88% dos seus 250 milhões de habitantes professa esta religião, a Indonésia sofreu entre 2000 e 2009 vários atentados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...