Detidos três alegados terroristas sírios

De acordo com a investigação, os detidos, de 19, 21 e 26 anos, chegaram à Alemanha em 2015 no auge da crise dos refugiados, tendo solicitado asilo

As forças de segurança alemãs detiveram hoje três presumíveis terroristas sírios, com idades entre os 19 e os 26 anos, em Saarlouis e Saarbrücken, sudoeste do país, segundo informaram as autoridades policiais.

Os investigadores suspeitam que os três detidos pertencem a organizações terroristas, mas "não têm até ao momento nenhum conhecimento de que os acusados planeassem cometer algum atentado na Alemanha ou na Europa".

Dois dos suspeitos são considerados "perigosos islamitas"

Os detidos, de 19, 21 e 26 anos, chegaram à Alemanha em 2015 no auge da crise dos refugiados, tendo solicitado asilo.

De acordo com a investigação dos últimos seis meses, dois dos suspeitos são considerados "perigosos islamitas".

A investigação teve início após informação por parte de um trabalhador de um albergue que disse à polícia ter visto um vídeo em que um dos detidos estava vestido com um uniforme militar e com granadas e armas de guerra na mão.

As forças de segurança alemãs descobriram que um dos detidos era membro do Estado Islâmico (IS) e que outro tentou recrutar alemães para combater na guerra civil síria nas fileiras da organização terrorista Ahrar Al-Sham.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.