Detidos cinco suspeitos por roubo de quadros de Rubens e Renoir em Itália

Os suspeitos conseguiram roubar os quadros de Peter Paul Rubens e de Auguste Renoir durante um encontro com dois vendedores de arte

A polícia italiana deteve cinco suspeitos, acusados do roubo, no ano passado, de quadros de Rubens e Renoir, avaliados em cerca de 26 milhões de euros, noticiou hoje a agência italiana ANSA.

As obras, porém, ainda não foram encontradas e as buscas continuam, mesmo depois de feitas as detenções dos cinco suspeitos, quatro italianos e um croata, de acordo com as fontes do processo citadas pela ANSA.

Os suspeitos conseguiram roubar os quadros de Peter Paul Rubens e de Auguste Renoir durante um encontro com dois vendedores de arte, em Monza, Itália. Assumindo o papel de compradores, transportaram as obras para uma viatura, que lhes garantiu a fuga.

Três dos suspeitos ficaram em prisão preventiva, enquanto outros dois, pai e filho, ficaram sujeitos a termo de identidade e residência, uma vez que se pensa terem fornecido apenas apoio logístico.

Os quadros roubados de Rubens e Renoir estão avaliados em 26 milhões de euros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.