Avião russo caiu no Mar Negro com 92 pessoas a bordo. Putin ordena inquérito

O Tupolev Tu-154 ia para a Síria e levava militares e 64 membros do Coro do Exército Vermelho. Não há sobreviventes

Um avião militar russo com 92 pessoas a bordo caiu no Mar Negro. Destroços do Tupolev Tu-154 foram encontrados no Mar Negro, bem como alguns corpos, de acordo com agências de notícias locais que citam o Ministério da Defesa. Não há até ao momento indicação que de possam haver sobreviventes.

O Presidente russo, Vladimir Putin, já ordenou a formação de uma comissão de inquérito para determinar as causas da queda, que neste momento ainda são desconhecidas. Em cima da mesa está a hipótese de um problema técnico, mas as autoridades ainda não descartam a possibilidade de ter havido uma explosão ou outra causa.

O avião transportava 92 pessoas e dirigia-se para a Síria. Saiu às 05:40 (02:40 em Lisboa) de Adler, na zona balnear de Sochi, na costa do Mar Negro, onde fez uma paragem técnica, depois de sair de Moscovo. Realizava um voo de rotina para a base russa Hmeimim, na região síria de Latakia, quando desapareceu dos radares, 2 minutos depois de descolar.

Segundo uma gravação divulgada na comunicação social russa, não houve qualquer indicação, por parte do piloto, de dificuldades.

"Fragmentos do avião Tu-154 do Ministério da Defesa russa foram encontrados a 1,5 quilómetros da costa da cidade de Sochi, no Mar Negro, a uma profundidade entre 50 e 70 metros", indicou o ministério.

O avião transportava militares e 64 membros do Alexandrov Ensemble, o grupo musical oficial do exército, que se deslocavam à Síria para participar nas celebrações de Ano Novo na base. Segundo o ministério, estavam ainda nove funcionários de órgãos de comunicação social a bordo.

Em abril de 2010, um avião do mesmo modelo, um Tu-154, despenhou-se em Smolensk, matando as 96 pessoas a bordo, incluindo o presidente polaco Lech Kaczynski.