Depois de negar, Trump confirma pagamento a Stormy Daniels

Trump tinha dito anteriormente que não sabia nada sobre o pagamento a Stormy Daniels

Depois de um dos seus advogados, o republicano Rudy Giuliani, ter confirmado o pagamento à estrela do cinema pornográfico Stormy Daniels, esta quinta-feira foi a vez do próprio Donald Trump admitir que Daniels recebeu dinheiro para ficar calada.

Em três mensagens no Twitter, o presidente norte-americano quis deixar claro que o dinheiro usado "não teve nada a ver" com a campanha à presidência, e disse que as afirmações de Daniels são falsas e visam extorquir-lhe dinheiro.

As explicações surgiram depois de Giuliani ter confirmado, em entrevista à Fox News, que Donald Trump tinha pagado ao advogado Michael Cohen os 130 mil dólares que aquele tinha dado a Stormy Daniels.

Trump tinha dito anteriormente que não sabia nada sobre o pagamento a Stormy Daniels, que diz ter passado uma noite com Trump em 2006. O advogado de Trump, Michael Cohen, pagou a Daniels, cujo nome verdadeiro é Stephanie Clifford, para manter o alegado encontro sexual secreto, antes das eleições, em 2016.

Agora Trump reconhece esse pagamento, dizendo que era relativo a um contrato privado entre duas partes, conhecido como um acordo de não divulgação (Non-Disclosure Agreement ou NDA em inglês).

"Estes acordos são muitos comuns entre celebridades e pessoas com dinheiro", diz Trump, acrescentando que o acordo foi usado para impedir "acusações falsas e extorcionistas feitas sobre ela sobre o relacionamento sexual, apesar de já ter assinado uma carta a admitir que não tinha havido relacionamento sexual."

Já durante a entrevista à Fox, Giuliani, que faz parte da equipa jurídica de Trump, salientou que não foi usado dinheiro da campanha, algo que parece ser o principal ponto em causa para a defesa. Giuliani sublinhou que o pagamento não viola as leis de financiamento de campanha porque não foi retirado dos fundos de campanha de Trump.

Quando questionado no início de abril sobre o pagamento a Daniels, Trump respondeu que não. "Terá que perguntar a Michael Cohen. Michael é meu advogado. Terá de lhe perguntar". A Casa Branca tinha dito também que Trump não tinha tido sexo com Daniels.

Ler mais

Exclusivos

João Almeida Moreira

DN+ Cadê o Dr. Bumbum?

Por misturar na peça Amphitruo deuses, e os seus dramas divinos, e escravos, e as suas terrenas preocupações, o dramaturgo Titus Plautus usou pela primeira vez na história, uns 200 anos antes de Cristo, a expressão "tragicomédia". O Brasil quotidiano é um exemplo vivo do género iniciado por Plautus por juntar o sagrado, a ténue linha entre a vida e a morte, à farsa, na forma das suas personagens reais e fantásticas ao mesmo tempo. Eis um exemplo.