Denúncia: Rússia na origem da pirataria informática que afetou parlamento alemão

Segundo a revista "Der Spiegel", a Procuradoria-Geral Federal está a investigar oficialmente o caso

Os ataques de piratas informáticos que afetaram em 2015 a câmara baixa do Parlamento alemão, o Bundestag, foram manobrados pelo Governo russo, escreve este sábado a revista alemã Der Spiegel, citando um alto funcionário de Berlim.

Falando sob anonimato, a fonte, ligada aos serviços de segurança alemães, referiu que o ataque que afetou durante semanas os servidores do Bundestag "foi claramente um feito dos serviços secretos militares russos".

Segundo a Der Spiegel, a Procuradoria-Geral federal, com sede em Karslruhe (sul), está a investigar oficialmente o caso desde meados deste mês.

As revelações da revista surgem num momento crítico das relações entre a Alemanha e a Rússia, já severamente afetadas pela crise na Ucrânia.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.